Como superar a dor da separação

Tenha em mente que superar uma separação demanda tempo, paciência e uma jornada em busca de autoconhecimento. 

Acabou. O que uma pessoa madura faria agora?

O fim de um relacionamento é sempre difícil, não importa se a decisão partiu de você ou do seu parceiro. Enfrentar a dor da separação requer importantes reflexões e a compreensão de si, do outro, do seu ideal de amor e das conexões conjugais como elas verdadeiramente são.

Culpa, raiva, medo, tristeza efrustação são alguns sentimentos comuns (e completamente normais) que integram o ciclo caótico de emoções logo que a vida a dois acaba.Permita-se sofrer por essa perda e sentir a dor que ela causa. Chore, grite, desabafe e coloque as emoções negativas para fora, se sentir necessidade.

A gente sabe que o aperto no coração, a dor de cabeça, a revirada no estômago e a sensação de sufocamento são reais, no entanto, são desencadeados por neurotransmissores e descargas hormonais. Tudo começa na cabeça. O coração só está passando o recado.

Tenha em mente que superar uma separação demanda tempo, paciência e uma jornada em busca de autoconhecimento.

Não existem fórmulas prontas em prateleiras. Encontre formas saudáveis de aliviar sua dor emocional, pois um sentimento verdadeiro não vai embora de uma hora para outra. Lembranças virão a todo instante e a saudade vai bater forte.

Fazer pausas para compreender toda essa complexidade sempre é um bom começo e pode ser de grande ajuda para superar a dor da separação, invocar a melhor versão de si e seguir (feliz!) em frente.

Emoções que vêm da infância

Uma relação amorosa não depende apenas da vontade do casal para durar anos. Existem questões emocionais ligadas à história pessoal e familiar de cada um, que devem ser levadas em conta para que a relação afetiva resista aos altos e baixos e amadureça.

Não filme de animação Why Our Partners Drives Us Mad (Por que nossos parceiros nos tiram do sério, em português), o filósofo suíço Alain de Botton explica que cada pessoa ama com uma parte muito vulnerável de si. Também acredita que o amor adulto é, de muitas maneiras, uma busca pela redescoberta das emoções que tivemos na infância.Se essas emoções não forem bem trabalhadas, corre-se o risco de comportamentos nocivos para a rotina do casal – por motivos banais ou complexos – serem reprisados com o próximo parceiro.

Pois bem, em muitos casos, a resposta para a pergunta “O que uma pessoa madura faria agora?”, que abre esse nosso texto, é busque mais consciência de suas reais motivações e trate delas em vez de se ater a pretextos que as mascaram ao longo da vida.

De acordo com o psicólogo americano John Flavel, professor da Universidade de Stanford, o conhecimento que as pessoas adquirem sobre as próprias emoções pode ajudá-las a manejar sentimentos para realizar objetivos concretos, como o tema deste post blog: superar a dor da separação. Não só. Também para recuperar a capacidade de se relacionar com os outros e sarar feridas deixadas pelo término da relação.

Se relacionar, enfrentar dificuldades e amadurecer é um exercício de vida em sua essência. Devagar e sempre, permeia amor, generosidade e diálogo aberto e sincero com o outro e, sobretudo, consigo mesmo.

Além do horizonte

Lembre-se de que você sempre pode recorrer ao apoio de amigos, familiares ou até mesmo de um profissional de Psicologia para lhe ajudar nessa jornada.Se você não se sentir melhor com o tempo, considere conversar com um psicoterapeuta.

É importante que você siga apostando que pode sempre fazer algo de bom, especialmente para você mesmo.

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.

Este site é protegido por Google reCAPTCHA. Política de Privacidade e Termos de Serviço se aplicam.